As novas cores do seu armário: as novas cores da Kipling


Epa, epa, epa! Tem novidade na Kipling!

Mas um  passo de cada vez né? 
Vocês sabem que sou fã da Kipling. A marca mais fofa de todos os tempos já apareceu aqui no blog várias vezes, nas wishlists ou nas fotos com meu estojo preferido. E hoje eu vim contar uma novidade que vai deixar as cores dessa estação ainda mais vivas!


Você com certeza já conhece  a coleção Basic da Kipling. É aquela que você sempre desejou, de nylon estonado, com bolsos super bem pensados,cheia de cores legais  e um macaquinho pra lá de bacana pra carregar pra tudo quanto é canto.


Quinta feira, fui no Shopping Paulista com minha amiga que tá doidinha atrás de uma bolsa da Kipling. Achei a oportunidade legal pra conhecer a nova coleção.



 Assim que cheguei lá fui super bem atendida pelas meninas, que logo me mostraram as novas cores da coleção Basic.Eu já tinha visto no Blog da Kipling as fotos, mas pessoalmente é outra história né. Elas estavam todas divididas em cores e prateleiras, um verdadeiro amor em pilhas. E cá entre nós, elas mais lindas que nas fotos.



A Kipling lançou cinco novas cores pra Coleção Basic Holiday 13 e  fiquei  tão inspirada, que criei um look descontraído pra cada nova cor, doidinha pra combinar tudo com elas. Quem aí se arrisca a dizer quais são?

Pink Orchid

Sabe aquele rosa super alto astral, que dá um up em qualquer visual? Super feminina, é um rosa fúcsia  perfeito pra qualquer época, lugar. Mas tem uma regra: só vale se for pra alegrar o ambiente hein?






Salmon Pink


Pensa numa cor que passa pra gente todo o calor e alegria desse verão. Fica linda na mochila, no estojo, no fichário, na carteira, na bolsa, na escola, na faculdade, no shopping, na balada... Mas cuidado viu? Boatos dizem que quem usa Salmon Pink arrasa e chama a atenção em qualquer lugar!                                                                                                    



Cactus Green 



 Acho que  esse é o tom de verde que eu mais amo, meio verde água. Me lembra calma, mas ainda assim é a cara da riqueza! Perfeito pra deixar qualquer coisa fofa e a sua cara. E só de ver já sinto aquele cheirinho de menta...





Glacier Blue


Sabe aquele azul que as moçoilas do Instagram mais usam? É esse aí viu. Cheio de vida, fica divino com cores mais neutras, que deixam o azul todo destacado. Tô apaixonada por ele!






Brilhant Purple


Tem cor mais linda no mundo do que roxo? Ainda mais esse que é um roxo pra lá de clássico. É aquele coringa que dá pra tudo: cores sóbrias, alegres. "É pau pra toda obra" mesmo. 




É,  eu tô passando por uma crise aqui. Depois de ver tanta coisa bacana, não sei nem qual gostei mais. Quero todas as cores pra alegrar meu armário mais um pouco hehe

Não deixe de conferir os outros produtos e cores, vale muito a pena" Eu fui na loja da Kipling do Shopping Paulista, em São Paulo, mas tem em várias outros Shoppings e cidades pelo Brasil, mas se ainda  assim  não tiver na sua cidade, você pode conferir todas as novidades no siteblog ou Facebook, e comprar tudinho aqui.


Essa aí  é a Maria, a macaquinha que veio no meu estojo, e eu e ela queremos saber qual cor já entrou pra sua Wishlist do amor! Deixa um comentário dizendo o  que você achou da nova coleção, vamos adorar saber!

Beijos da Ka (e da Maria também!)







Curta e fique por dentro das novidades da Kipling e do Blog 


Pin It

A última carta para meu poeta



São Paulo, 27 de Setembro de 2013

Passei dias me perguntando como começar essa carta. Assim como nós, ela não tem um começo, só lembranças boas jogadas pelo tempo. A ideia de escrever surgiu numa livraria, quando pela milésima vez seu livro preferido surgiu na minha frente. É, aquele que você perdeu as contas de quantas vezes me mandou ler. Mas também perdi as contas das vezes que pedi pra você escutar minha música preferida e você não escutou. Falando nela, você não sabe, mas conheci ela na mesma semana que te reencontrei. Acho que eu estava "De olho na estrada esperando você". E de certa forma, sempre estive.   

Sinto falta dessa época, sabia? De quando passavamos horas conversando besteiras, ou falando de política e da faculdade que parecia de um futuro distante. Sinto falta dos dias que meu coração quase saia pela boca, e das confissões em madrugadas tediosas na internet. Mas não sei se sinto falta de você, ou dessa época. A gente mudou demais desde tudo isso né? Mas eu amava nosso mundo paralelo, nosso universo só nosso. Aquele que só nós conhecíamos.

E cá entre nós meu poeta, não me arrependo em momento algum de ter te amado. Se eu pudesse escolher, teria escolhido você do mesmo jeito. Teria vivido tudo só pra sentir tudo isso de novo. Eu amei te amar. Perdi as contas das vezes que dormi escutando a música que me lembrava você. Das vezes que te xinguei mentalmente quando você chegava em casa de manhãzinha, quando eu nem tinha acordado direito. Mas só de te ver eu já tinha ganhado meu dia, e eu tinha motivos pra sorrir por muito tempo, sonhando com um futuro que infelizmente não veio.

Você me ensinou a ver a vida de outro jeito, mesmo sem querer. Você foi meu erro certo. Tinha que ser eu e você, num lugar estranho, no dia que nos conhecemos. Dois estranhos, num lugar estranho pros dois estranhos, que nada tinham em comum a não ser estar ali. E mesmo assim a gente se conheceu.

Eu teria esperado o tempo que fosse se eu soubesse que você estaria no final. Mas eu sei que você não está. E continuamos sendo os mesmos desconhecidos de quando nos conhecemos, continuamos em caminhos opostos.

Prometo amanhã terminar seu livro preferido. Aliás, parece que tem um pedaço seu em cada palavra. E por que ler agora, depois de tanto tempo? Acho que foi o jeito que eu encontrei de me despedir. Eu precisava fazer isso, pra começar do zero como se deve, na minha página em branco sem você no papel de mocinho da história. 

Eu estou indo em paz. E deixando o sentimento que tanto me fez bem, mas que certos dias me destruiu. Mas só se leva boas lembranças pra uma nova vida e te amar foi uma das melhores coisas que eu já senti. Você me mostrou o quanto esse mundo é grande, o quanto a gente tem coisa pra viver nessa vida, e como esse mundo é pequeno ao mesmo tempo. Que nossos pensamentos são grandes demais pra ficarem presos na nossa mente. Você me ensinou a amar. Mas eu mereço ser amada. Mereço viver a história que não vivemos.

Desejo que você viva um sentimento tão bom quanto esse que eu senti por você. 

Obrigada por tudo. Fica com Deus.

Kamila.

Pin It

Livro: A Garota que eu quero



Título: A garota que eu quero
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Gênero: Romance
Total: 174 Páginas
Valor: 19,90  na Saraiva
Tempo: de 17 de Setembro a  19 de Setembro

Sinopse

Cameron Wolfe  tem fome. Cansou-se de ser  um maldito perdedor, deplorável, meio risonho e meio carrancudo, sempre tentando impressionar. Ele finalmente conheceu uma garota, e seu espírito foi inundado por palavras. Agora, Cameron está determinado a  provar que  não há nada mais belo que um perdedor disposto a lutar.




Resenha

O livro é bem curtinho, e cada capítulo é dividido em duas partes: uma, escrita pelo próprio Cameron em forma de um texto curtinho que ele relata como se sente ou como gostaria de se sentir. A outra parte, é  onde a história realmente acontece.
Cameron tem dois irmãos, Rube e  Steve. Rube é aquele cara valentão que vive entrando em briga  e troca de namorada  duas vezes por mês, só pra se sentir o cara,  e Steve é um jogador  de futebol  e está mais  do que bem. Cameron vive na sombra deles, ou na pior.  Ainda não saiu da escola e seu amor platônico é uma garota  que nem sabe que ele existe, mas que todos os dias ele vai esperar na frente da casa dela, ver se ela aparece  para ele. 
Certo dia, Rube chega com mais uma namorada nova, Octavia. Ela é  tudo, menos a mulher que Rube merece. Cameron sabe que em duas semana Rube vai terminar com ela, e fazê-la sofrer. E eles começam a se aproximar, até que Cameron percebe que ela é a garota que ele quer.
Achei a leitura bem simples. Desde que li a Menina que Roubava livros, aguardava ansiosamente qualquer livro do Zusak, e esse  foi o primeiro que eu  tive nas mãos desde então. Vale lembrar que o A Garota que eu Quero foi escrito antes da Menina que roubava livros, e aviso desde já que a história é bem mais simples. Não me decepcionei. Mas  também  não me surpreendeu muito. 

Classificação:
 Bom

Do mesmo autor já li:
(x) A Menina que Roubava Livros
(x) Eu sou o mensageiro
(  ) O Azarão
(  )Bom de Briga

Curta e fique por dentro das novidades
                          

Pin It

Lançamento do livro da Bruna Vieira em SP


Quinta feira dia 19, aconteceu o lançamento do livro "De volta aos quinze" da Bruna Vieira, no Shopping Pátio Paulista, aqui em São Paulo. A Buna é blogueira do Depois dos quinze, e é um dos blogs mais famosos pra adolescentes. Esse foi o lançamento do seguindo livro dela, o primeiro era um livro de crônicas, e agora ela escreveu um romance. 
Eu acompanho o blog da Bruna há uns anos, e ela merece todo o sucesso do mundo (sempre digo!). Não consegui ir no lançamento do primeiro livro dela por causa do horário, que batia com o que eu ia pra faculdade, e dessa vez deu tudo certo, e lá fui eu. 


Cheguei lá umas 15:30, as senhas iam ser distribuídas as 17:00 e os autógrafos começavam as 18:00. Fui sozinha, mas não foi problema, porque as meninas eram um amor e logo fiz amizade na fila. 
Eu nunca tinha ido numa sessão de autógrafos antes, e achei que foi até rápido. Eu era a número 51 da fila, e quando chegou a minha vez, não consegui nem acreditar!
A Bruna parece uma boneca! (Falei isso pra ela haha). Ela é uma fofa, e é realmente a pessoa que aparenta ser  no blog. Mesmo com uma fila imensa, ela não se limitou só a autografar os livros, mas de conversar com cada um. E tá aí meu livrinho autografado:

Quando eu tava pertinho de conseguir meu autógrafo, a Paula, do Não Provoque, pediu pra mandar um recado pra Bruna. Eu sou toda vergonhosa, não sabia bem o que dizer, e não é que acabei aparecendo no vídeo dos depoimentos?! Dá só uma olhada no 06:03 e veja meus 5 segundos de fama! hahah



Ainda espero ir em muuitos outros lançamentos. Adorei conhecer a Bruna, a Paula, as meninas da fila e tudo mais. Tava com medo porque fui sozinha, mas valeu muito a pena.=))

As postagens continuam em passo de tartaruga, pra quem não sabe, meu notebook queimou e eu tô sem ter como postar há quase duas semanas. Mas tô anotando tudo, e assim que der, volto a escrever, visitar outros blogs, divulgar nos grupos e talz. É quase impossível fazer essas coisas pelo celular! Mas, minhas intermináveis aventuras continuam no instagram @kamilacomka, essas não acabam nunca! haha

Por hoje é só, um beijo, e até a próxima!

  Curta e fique por dentro das novidades
                          

Pin It

Resenha: Deslembrança


Título: Deslembrança
Autor: Cat Patrick
Editora: Intrínseca
Ano: 2012
Gênero: Romance
Total: 253 páginas
Valor: R$ 9,90 na Siciliano
Tempo: de 14 de Setembro a 17 de Setembro

Sinopse

Toda noite, quando London Lane recosta a cabeça no travesseiro e dorme, cada mínimo detalhe do dia que viveu desaparece da sua memória. Pela manhã, restam-lhe apenas lembranças do futuro: pessoas e acontecimentos que ainda estão por vir. Para conseguir manter uma rotina normal, London escreve bilhetes para si própria e recorre à sempre fiel melhor amiga. Já acostumada a tudo isso, ela tenta encarar a perda de memória mais como uma fatalidade do que como uma limitação. Mas, quando imagens perturbadoras começam a surgir em suas lembranças e London precisa, de algum modo, escapar delas, fica claro que para entender o presente e o e o futuro ela terá que decifrar o que ficou esquecido no passado.



Resenha

Todos os dias as 4:33 da manhã London tem sua memória reiniciada. Por conta disso, escreve vários bilhetes contando como foi o dia de hoje, e eles são sua memória, desde pra saber as provas, o que fez, até as roupas que usava. Certo dia, London conhece Luke, um menino novo na escola, que logo se apaixona por ela. London começa um namoro do qual não lembra os momentos que viveu- a não ser pelos bilhetes-  não consegue ter lembranças dele no futuro, que são as únicas lembranças que ela consegue ter: das coisas que ainda vão acontecer, quase uma vidente. E uma lembrança em especial começa a atormenta-la: a de um funeral. E assim, London vai juntando as peças pra conseguir salvar alguém próximo a ela de sua lembrança fúnebre ou a melhor amiga de um futuro triste. E no meio disso tudo, surgem personagens de seu passado, que não estão no presente, mas London fará de tudo para que estejam no seu futuro.

É curiosa a forma como London vê o mundo, ou quando esquece de anotar alguma coisa boba, mas que faz diferença. O bom é que ela pode escolher o que vai nos seus bilhetes, ou seja, o que vai lembrar. Achei a leitura do livro agradável, fácil de se envolver, e bem diferente dos outros. Mas achei algumas falhas. Assim que me senti na história, ela acabou. Achei que a autora poderia ter explorado um pouco mais o enredo. Terminei o livro com a sensação de que a história não terminou, que precisa de uma continuação pra poder terminar. Mesmo London conseguindo lembrar algumas coisas de seu futuro, ainda assim achei que algumas coisas ficaram no ar. Gostei da leitura, mas realmente acho que faltou algo pra história poder terminar. 

Classificação

Regular

Curta e fique por dentro das novidades
                          

Pin It

Uma exposição, uma praia e um parque

Acordei sábado com aquela mesma sensação de cansaço dos outros dias. Pensei um pouco. Não lembro de ter escutado meu celular despertar, mas é sábado, então confiro a hora e vejo que ainda são 6:12. Viro pro lado e procuro uma posição mais confortável pra voltar a dormir e acho que a claridade do dia que está nascendo me tirou o sono. Saco. Olho minhas redes sociais por cima. Continuo cansada. Não quero acordar. Cubro meu rosto e tudo fica escuro de novo.
Acordo com o celular tocando, olho na tela e é minha amiga que combinei de sair mais tarde. Atendo, descubro que horas são e me dou conta que prometi pra minha mãe que ia buscar o almoço. Levanto, e como já estou atrasada, pego a primeira roupa que tem na minha frente e busco o almoço.
Encontro com minha amiga no lugar combinado. Estamos ansiosas pra ir a mais uma exposição. Dessa vez é sobre o Renascimento (a ultima foi sobre o Impressionismo). Depois de umas duas horas de fila penso em desistir, mas lembro uma exposição assim demora vir pro Brasil, e do mais, estou com minha amiga, que também adora exposições, então vamos encarar a fila.
Encaramos 4 horas de fila, mas valeu a pena. Corremos um pouco, por medo de andar no centro sozinhas, e do nada nos deparamos com a gravação de um comercial de carro. Nisso, percebi que nunca andei no centro a noite, e, como o centro de São Paulo é lindo a noite. Me bateu uma pontinha de saudade? Não sei.

Chegamos no metrô sãs e salvas.
Eu tinha combinado de ir pra casa da minha outra amiga. E depois de muita conversa, decidimos ir pra praia, num sábado 23:30 da noite. Loucura? Talvez. Mas a vida precisa de algumas loucuras de vez em quando, e ir um sábado a noite pra praia com seus amigos é uma delas.
Passamos no drive-thru do McDonalds, colocamos um CD de músicas antigas e lá fomos nós com destino a Santos.


Nos perdemos um pouco, mas chegamos na praia. Estendemos três toalhas, colocamos mais músicas e ficamos ali, contando histórias antigas, rindo de algumas brincadeiras e nos preparando pras próximas aventuras que nos aguardam. A praia a noite é diferente, mas ainda tem cheiro de praia. Molhamos só os pés - a água estava muuito fria,  fomos tomar sorvete e depois, voltamos pra São Paulo.



Consegui uma carona pra voltar pra casa hoje cedo, cheguei, joguei um pouco de video-game com meu irmão (estamos viciados nos jogos da Lego), almocei e depois fui com a minha mãe no ibirapuera.


Eu já estava com vontade de ir pro Ibira desde que minha mudança tá com data marcada, e hoje o dia estava perfeito. Sol, céu limpo e disposição. O parque mais uma vez estava super agradável, e passar uma tarde com a mãe é tudo de bom.



E cá estou eu, domingo a noite escrevendo como foi meu final de semana. Sinto falta do meu computador. Queria postar tudo isso no blog, hoje ainda, mas sei que a postagem só vai pro blog depois que meu computador voltar, ou eu passar o horário de almoço no escritório amanhã. Tô com uma dor na perna por causa do tempo em pé na fila de ontem, mas não me importo. Vou dormir agradecendo tudo o que eu já vivi, inclusive esse final de semana, de arte, loucuras e um pouco mais. Sabe, a vida é muito curta pra não se ter histórias pra contar.

E se quer um segredo, lá vai: posso não ter tudo, mas não trocaria minha vida por nada.


Pin It

Estampa étnica


Você com certeza já viu ela por aí. Seja em roupas, ou em objetos, ela dominou as lojas, super divertida, colorida, e é a cara da primavera-verão desse ano.
Ela surgiu na década de 70, usada por hippies e foi inspirada nas tribos antigas, de diversas nacionalidades, e 40 anos depois elas chegaram com tudo na primavera verão dos americanos, e europeus, e agora estão chegando peças com estampa étnica nas lojas de rede aqui do Brasil. (Uhuuul!)
Elas são peças bem marcantes, e destacam bastante o look. Mas cuidado: como são estampas geométricas e em grande quantidade, a peça pede uma combinação com outra peça mais neutra.

E mais uma vez as estilosas da internet colaboram nas inspirações!

Blusas



Saias



Calças 

 Shorts


 Vestidos



Já aderi à estampa étnica, comprei uma capinha de celular (ainda não chegou!), e um Cropped (a foto  é essa aqui, tá no meu Instagram - segue @kamilacomka, seremos amigos de fotos haha).
Não prometo look, porque tá difícil encontrar alguém pra tirar as fotos, mas assim que der faço. (Tô com saudades de Look do dia hahaha).

O que vocês acham da estampa étnica? Usariam? Tem alguma peça? Conta aí.

Pin It