50 músicas que marcaram 2007


De vez em quando eu tiro o dia pra vasculhar umas coisas velhas, e lembrar de coisas esquecidas. No último feriado, quando fui pra São Paulo, achei várias cartinhas da minha época do fundamental e bateu uma nostalgia. Dei uma olhada e achei umas fotos velhas, inclusive a que a vergonhosa que abre esse post, e achei que valia algumas palavras.

Em 2007, eu estudava com minhas amigas de infância, passava as tardes em casa lendo algum livro e esperava todo dia 19:00 pra começar o Top 10 MTV enquanto eu ficava no orkut/msn/mp3, e eu usava minhas sextas a tarde pra ir no cinema e no boliche com o pessoal da escola.

Se você não lembra de 2007, eu te lembro: Avril usava uma mecha rosa, você esperava o segundo High School Musical, surgia o primeiro Iphone, Harry Potter e a Ordem da Fênix, Os Simpsons , Homem Aranha 3 chegavam no cinema junto com Piratas do Caribe no Fim do Mundo e Shrek Terceiro.

Resolvi criar uma playlist com as músicas que mais me lembram a época de 8ª série (2007). O título tem a ver com o maior acontecimento do ano, que foi a formatura. Apesar de que Oitavida, BerroD'agua também marcaram muito aquele ano!

Tem de tudo na playlist, dá só uma olhada:


E de bônus, uma curiosidade. No meio de 2007 cortei franja e fiz definitiva no cabelo. Pouco tempo depois, a Nelly Furtado lançou "Say it right" e meus coleguinhas me acharam parecida com ela...virei Nelly! Pra matar sua curiosidade e fazer uma brincadeirinha, olha aí a comparação:

Separadas pela fama

Brincadeiras a parte, ainda bem que o tempo passou, eu mudei, mas as lembranças sempre vão ficar. Infelizmente não tenho mais contato com algumas pessoas que estudavam comigo ou estavam no dia a dia daquela época. Foi bom e durou o tempo que precisava durar, mas isso não proibe de sentir saudades né?

Beijo com nostalgia, e quem sabe daqui um tempo não tem mais playlists nostalgicas?!


Pin It

Mais amor, por favor


Minha sexta feira tinha tudo pra ser uma noite normal. Íamos para uma duas festas em repúblicas. Cheguei da aula e me arrumei. Coloquei uma calça jeans, uma blusa rodadinha e uma jaqueta, todos pretos, pra contrastar com a botinha cobre que eu coloquei. Fomos para a primeira festa, tudo ok.

Saímos por volta de 00:00. A rua acabava junto com outras três, e de uma delas, apareceu um filhodaputa bandido, pedindo nossos celulares. Estávamos em cinco meninas. Na hora apavoramos e saímos correndo. O cara falou que se corrêssemos ele atiraria. Era uma decida, eu e mais uma menina da minha casa caímos, e ele conseguiu pegar meu celular e saiu correndo. 

Chamamos a polícia, fiz boletim de ocorrência, mas infelizmente não conseguiram achar meu celular, e muito menos o bandido. Quando cheguei em casa me dei conta dos machucados que estava e uma leve dor no tornozelo, que no dia seguinte descobri que tinha torcido. Passei parte do meu sábado no hospital, e agora, apesar do meu tornozelo não estar inchado, de vez em quando ainda descubro algum roxo resultante da queda.

Ontem a noite, demorei muito pra dormir. Quando consegui, sonhei que eu estava em uma cidade grande, e um cara numa moto pedia meu celular. Nisso, eu falava "Não tenho, já roubaram de mim sexta feira". Aí nisso, o cara me levava no banco com a arma na cabeça e fazia eu sacar o dinheiro pra ele. Não preciso nem falar em como fiquei calma quando vi que tudo não passou de um pesadelo. 

Infelizmente esse tipo de episódio acontece mais do que pensamos e qualquer um está sujeito a qualquer hora, em qualquer lugar. O que mais me revolta é o trauma que eu senti de tudo isso. O quanto essa cena fica se repetindo na minha cabeça, e como não podemos (e nem conseguimos) fazer nada na hora pra evitar. 

Por mais que o prejuízo financeiro tenha sido alto, e é uma injustiça gigantesca uma pessoa trabalhar pra ter algo legal e um babaca roubar pra trocar por droga, o que me revolta é a tamanha crueldade desses assaltantes. Graças a Deus, o que aconteceu comigo e com minhas amigas foi pouco diante do que podia ocorrer, e eu até tenho medo de pensar.

Não é só culpa do sistema, apesar de eu ser da opinião que se a lei aqui fosse mais rígida, um cara pensaria várias vezes antes de fazer algo assim ou pior. Sei que com o tempo esse trauma vai passar, e aos poucos o medo de sair a noite, ou de ser assaltada de novo. Mas eu precisava fazer esse desabafo. 

É isso. Mais amor. Mais trabalho. Menos assalto. Menos crueldade. Por favor.

Pin It

Cada um precisa fazer o que gosta


Essa semana aconteceu um daqueles episódios que me fizeram pensar e repensar sobre como ando levando algumas coisas. Tenho o blog desde 2012, e lá, naquele mesmo ano, com dois meses de vida, começaram as primeiras críticas."Blog é coisa de criança"."Quanta futilidade falar de moda"

E foi aí, lá no comecinho que eu decidi que não ia deixar de fazer algo que eu gosto, mas que ninguém do meu ciclo daria pitaco também. E fui levando o blog assim, sem pedir apoio ou opinião de quem quer que fosse criticar. 

Eis que essa semana, uma das minhas melhores amigas, meu namorado e meu pai descobriram meu blog. No começo, fiquei apavorada, "lá vem as críticas de novo". Depois comecei a ler minhas postagens antigas, em busca de algo que fosse "incriminador" ou qualquer outra coisa. E ai parei o que eu estava fazendo: tudo o que eu fiz ou escrevi aqui fiz respeito a mim, a minha história. Não valeria a pena apagar por medo de receber críticas ou do que as pessoas pensam de mim. Grande parte das minhas "idas e vindas" daqui foi exatamente por isso. Mas chega uma hora que cansa. Se o que eu faço incomoda alguém, é só não entrar aqui mais. 

Ontem, tirei o dia pra reler um dos meus livros favoritos "Roube como um artista". E ele é um pouco mágico. Eu tento tantos projetos na cabeça, mas o medo das críticas ou de ter uma decepção no meio do caminho sempre aparecem como um muro pra mim. 

Sempre quis levar o blog adiante. Vender umas coisas pra ter uma renda extra. Viajar pra outro país. Voltar pra academia. Perder uns quilos a mais. Confesso que não são coisas simples, mas são completamente possíveis com um pouco de luta. 

Todos vão criticar, sempre. Uns por inveja, outros por chatice, e alguns em até alegria em desanimar alguém. Por isso não adianta. Cada um precisa fazer o que gosta, porque mais chato do que receber críticas, é receber críticas por algo que você não gosta de fazer. 

Pin It

Mini ensaio fotográfico


Mais uma vez o tempo passou, e apertou pra dar atenção ao blog. Os trabalhos, provas, o vai e vem de São Paulo pra Ouro Preto, mas vou tentar me esforçar mais! E a páscoa, como foi? Eu tenho estoque de chocolate por um bom tempo!! hahaha 

Chocolates a parte, fui pra São Paulo na páscoa, mas foi bem corrido. Acabei só indo no cinema assistir Cinderella,(vale a pena) e fiquei em casa curtindo a família, atrás dos ovos de páscoa! De volta a Ouro Preto, com uns kilos a mais, eu e uma amiga minha fomos chamadas pra servir de modelo fotográfico pro Cláudio, fotógrafo que está criando o portifólio e divulgando o trabalho aqui na região de Ouro Preto.

Fizemos as fotos no final da tarde do sábado.  Achei o resultado bem satisfatório, mas fiquei um pouco travada nos cliques. Escolhemos o centro histórico de Ouro Preto.As primeiras fotos foram tiradas na Casa de Thomaz Antônio Gonzaga, e logo após nas ruínas próximo ao termina de ônibus central.


Volto em breve com novidades, não deixem de acompanhar o blog! :)


Pin It