My week#7 e #8: Bye bye 2013

Se você conhece alguém que estuda numa universidade, instituto federal ou cefet, sabe que provavelmente essa pessoa ainda vive com o calendário acadêmico atrasado, e no meu caso, 2013 só acabou semana passada. Como eu tive duas semanas seguidas de prova, a semana final e a de exame de cálculo, essas duas semanas tem menos fotos que o comum.


A sétima semana do ano começou com um rock da sala. Rock é festa em linguagem ouropretana hahha. Foi muito bom mas eu dei um verdadeiro show desnecessário. Enfim. Depois disso não teve muita novidade, passei a semana estudando,até que na sexta feira saí com uns amigos da minha amiga, curti demais. Adorei todos eles, e a foto dos drinks não representa nem um pouquinho o quanto eu gostei daquela sexta. Aproveitei e passei o final de semana na casa dela, que fica perto de Ouro Preto, e lá é tão gostoso que tem até mico no quintal. hahaha

Passei a semana seguinte inteira estudando calculo, salvo umas fugidinhas pra comer alguma besteira em alguma lanchonete ou barzinho. E quando sábado finalmente chegou era hora de ir pra Sampa.E mais uma vez a foto do céu pra minha coleção. E nossa, AI QUE SAUDADES DE CASA.

Assim que eu cheguei, tinha uma pilha de coisas da China. Provavelmente a última pilha de um bom tempo, por causa da minha promessa. O blazer rosa e a blusa de cavalos vieram nessa remessa, e eu já usei hoje pra levar minha tia no aeroporto. E fazia tanto tempo que eu não andava de metrô, que achei que merecia um click. hahaha


Bom, agora vem um desabafo. Na volta pra casa, dei uma espiada na Marisa. Gosto muito de lojas de departamento, e eu vivia nelas antes da minha promessa. As fotos não estão boas, mas tentei. Achei uma graça o vestidinho de bolinhas e resolvi experimentar, mesmo sem poder levar. No caminho do provador, encontrei esse vestido mais aberto, da coleção de roupas da Anita. Achei lindo, mesmo pra mim que to "maiorzinha". O de poás estava R$39,90 e o da Anita R$ 79,90. Voltei pra casa babando, mas promessa é dívida e eu não gastei um centavo com roupa. Enfim, eu consegui sair de uma loja sem as peças que eu gostei. #NovoComeço

Aliás, é FÉRIAAAAAAAS!!

Pin It

Livro: O sal da vida


Título: O Sal da vida
Autor: Françoise Héritier
Editora: Valentina
Ano: 2012
Gênero: Prosa
Total: 100 páginas
Valor: R$ 24,90 na Livraria do Aeroporto de Confins
Tempo: 22/04/2014

Sinopse
Existe uma forma de leveza e de graça no simples fato de existir, que vai além das ocupações, além dos sentimentos poderosos e dos engajamentos políticos. É sobre isso que este livro fala. Sobre esse pequeno plus que nos é dado a todos: O SAL DA VIDA.



Resenha

Faz um bom tempo que eu não consigo ler um livro completo. Tava muito tenso por causa da faculdade, e eu estava com alguns livros parados, que nesse meu vai e vem de São Paulo e Minas eu acabo deixando ele em algum dos dois lugares, sem terminar. Eu também tinha prometido que não ia mais comprar livros antes que eu terminasse de ler os que eu tinha, mas acabei esquecendo pegar um livro antes de sair de Ouro Preto, cheguei no aeroporto mais cedo e fui dar uma espiadinha nos livros. Não sou de comprar livros em aeroportos/rodoviárias por conta do preço, mas achei esse simpático, curtinho e não tão caro assim. Resolvi que era uma boa leitura até chegar em Guarulhos, e cá entre nós, acho que acertei em cheio.

A leitura é super agradável, porém o livro se torna um pouco cansativo, já que ele é um único poema em todos os capítulos. O lado bom,é a leveza que ele trata:os detalhes da vida que nos faz ser feliz. Aqueles que você não percebe, mas é o que é a vida. Na pequena guloseima ou na noite de sono que você perde cuidando dos seus filhos, ou pulando corda na infância. Detalhes. 

Curti a leitura do livro. Achei descontraída, num tamanho ideal, e o melhor: no final do livro, tem várias páginas pra você completar com oque representa o sal da vida para você.


Classificação:
Bom

Pin It

Promessa: deixando de ser Becky Bloom


Se você fosse um personagem, qual seria?

Sem dúvidas Becky Bloom. Não. Eu não me orgulho disso, e eu confesso que tenho mais roupas do que deveria. O que não significa que eu seja fútil, patricinha ou só viva em shoppings. E bom, um drama leva ao outro e lá vou eu explicar o motivo de tanto suspense. 

Faz mais de um mês que eu não vou pra São Paulo. Isso significa que já faz mais de um mês que chegam pilhas e pilhas de pacotes da china no meu quarto: pacotes que eu nem lembro mais o que são, de demora ou de esquecimento mesmo. Mas quando a conta chega, eu lembro de tudo o que eu não deveria ter comprado rapidinho.

Já faz um tempo que eu decidi que ia quebrar minha amizade com o querido MasterCard, mas ainda faltava coragem, que chegou essa semana. 

Lembra do meu desespero com cálculo e GD na faculdade? A missão se tornou quase impossível, e diante de um problema desses, apelei pra tal da promessa.  Primeiro pensei no chocolate, mas cabeça de gordinho é difícil, e achei que não valia tanto. Depois pensei nos drinks. Não que eu seja bêbada de plantão, mas de vez em quando uns drinks não fazem mal a ninguém. Mas, faz pouquíssimo tempo que eu comecei a experimentar esses drinks, e achei que ainda não era hora. E foi quando eu olhei pro meu armário e tive certeza. Seis meses sem comprar roupa se eu passasse em GD, e mais seis se eu passasse em cálculo.


Parte da minha missão quase impossível ganhou, e já estou garantida até o dia 21 de Agosto sem gastar um centavinho com a Becky Bloom que há em mim, graças a um trabalho meu que a professora de GD perdeu e achou só na semana final.

Acho que eu ainda não tenho noção do quanto isso vai ser difícil. Primeiro porque meu armário é dividido em dois: parte aqui em Ouro Preto, e parte em São Paulo. Sempre tem uma coisinha ou outra que não vai estar aqui quando eu precisar, mas eu tenho como me virar não é?

Eu ainda não sei se passei em cálculo, mas já adianto que a missão era ainda mais difícil que a de GD: eu precisava substituir a primeira prova e gabaritar. Estudei demais. Muito. Mas nunca se sabe. 

E aí que eu agora começa o drama de como me vestir sem ser monótona e igual todos os dias? 

Pra minha alegria, ainda tem alguns pacotes pra chegar lá da china. E eu tenho mais roupas do que deveria ter, acho que toda mocinha tem, mas espero que eu não fique entediada nesses seis meses (ou um ano?) de promessa. E agora vem o lado legal pra alguns leitores desse meu blog. Eu tomei vergonha na cara e vou voltar a fazer looks do dia, porém com minhas roupas repetidas. Não garanto todo dia, mas pelo menos umas três vezes na semana. Que cês acham? É um jeito de me dar força pra continuar e dar uma movimentada no meu bloguito. 

Enfim. Enquanto o resultado de cálculo não sai, melhor eu arrumar minha mala, porque amanhã é dia de viajar, e eu to morrendo de saudades da terra da garoa. 

Pin It

My week #5 e #6: Keep Calm cause vacation is comming

A semana começa com uma notícia um tanto chata: meu notebook bateu as botas. Não da pra escrever uma palavrinha sequer, sem que o coitado não esquente demais ou abra uns mil atalhos. Já era algo esperado, tenho ele há 4 anos, mas o que mais complica, é eu estar na minha semana final de provas/trabalhos na faculdade :/
Mas falando das últimas duas semanas, não sei o que está acontecendo, mas acho que o tempo ta demorando demais pra passar! Deve ser saudade de casa misturada com eu estar me sentido meio sozinha, não sei.

As três primeiras fotos são nossa comemoração por não ter ido tão mal na prova de calculo (ainda há esperança Hahahaha). O professor deu as notas, bebemos um pouco e depois fomos pro mirante da UFOP. Adoro lá, e achei ainda mais lindo a noite, onde da pra deitar e ficar vendo as estrelas. 

As outras fotos são do final de semana (infelizmente nada animado). Meus amigos tinham ido pra casa, e eu fiquei sozinha o final de semana inteiro. Eis mais um motivo pra ter demorado tanto pra passar. No sábado a noite, fui numa lanchonete comer porcaria. Fazia um tempo que eu não usava minha calça rasgadinha, e como tirei ela do armário, achei que valia um click.

Diferente de São Paulo, onde a galera ta quase derretendo de tanto calor, aqui o tempo ta bem fresco. A temperatura dia entre os 20 a 28 mais ou menos, o que me faz pensar que tudo o que eles estão sentindo de calor agora, eu vou sentir de frio no inverno haha



Eu como porcarias pra tudo hehhe. Nesse dia eu tava de TPM triste por causa de cálculo, e descontei na tortinha de Kinder Bueno, e tava uma delícia haha .Coloquei a foto do post que eu mais gostei dessa semana, porque foi um dos que eu mais gostei desse blog inteiro. Acho que pela intensidade que escrevi ele, não sei explicar. Se sentir curiosidade, é o penúltimo post antes desse.

Eu estava em busca de um mercado com mais diversidade, como eu já disse no ultimo post. E minha nova bebida preferida é essa vitamina com cereais. Se tiver na sua cidade, vale a pena experimentar. Já o sábado foi cheio de trabalhos, e depois sai a noite com meu amigo pra ver a cara da rua. Agora vamos a mais uma foto com história: eu pulando o muro.

Quando eu era criança, e vivia indo pro interior, nunca conseguia pular o muro pra me esconder no esconde-esconde. Sempre me ralava, era pega, caia... E ontem, pulei o muro pra não dar a volta na EM. Hahaha achei que valia a foto pra mandar pros meus primos. Depois, mais uma do day off (dia de comer uma porcaria na dieta). Detalhe pra tortuguita do açaí hahaha. E por ultimo, mais uma selfie, dessa vez com um vestido com número, desses que lembra time de basquete americano. 

Bom, como eu falei lá no começo do post, to sem computador. Esse post foi inteirinho escrito no celular, mas como estou na semana final, fica complicado demorar tanto pra escrever só uma postagem. Mas espero logo estar de volta, não me abandonem hahah! 

Boa semana galera! 

Pin It

Um mercado mais saudável


No meio do ano passado, eu comecei um processo de reeducação alimentar e atividade física. Consegui um bom resultado apesar do pouco tempo. Perdi 3 kg em dois meses, e no final do segundo mês eu amava Jump, Step e sentia saudade da academia, além de me policiar em tudo o que eu comia.

No começo do terceiro mês, eu me mudei pra Ouro Preto, e tive que abrir mão da Academia. Primeiro pela adaptação, meu pai achou melhor esperar um pouco (apesar que se eu depender de incentivo dos meus pais não faria academia nunca), e quando eu fui atrás da academia, acabei desanimando, já que não tem aula de Jump nem Step, meus amores da academia.

Outra coisa que mudou bastante quando vim pra cá, foi a minha alimentação. Em São Paulo eu fazia muitas refeições atrapalhadas e fora de casa, ou seja, comia bastante besteira. Aqui, eu almoço e janto no restaurante da universidade, e acabo não podendo escolher o que vou comer. E como são as refeições principais, fora disso faço um mercado e compro o que vale pras pequenas refeições, como café da manhã ou da tarde. E por causa disso, fica complicado pra mim seguir essas dietas mirabolantes. Mas, quem não tem cão, caça com gato, e a solução pra mim vai ser ir atrás dos velhos aliados Reeducação Alimentar e  Atividade Física.

O lado mais complicado, é que aqui em Ouro Preto tá longe de ter aquela variedade de coisas no mercado. Por exemplo, eu adoraria tomar suco de cereais, iorgute grego light ou comer um polenguinho de vez em quando. Mas a gente se vira como pode né? Eu não sou nutricionista, e cá entre nós, tô bem longe de ser. Mas algumas coisas, todo mundo sabe que faz bem. Frutas, grãos, dar uma cortada nos doces...

Hoje de manhã fui no mercado, e achei algumas coisas interessantes. Não dá pra tirar foto de tudo, mas separei os que eu mais gostei, e como achei em Ouro Preto, talvez seja mais frequente nas outras cidades do interior.

1- Essa vitamininha foi meu melhor achado nesse mercado, sem comparações. Eu vivo experimentando mil vitaminas, mas nunca tinha achado uma tão gostosa quanto essa. Eu resolvi experimentar porque nunca tinha visto vitamina com grãos aqui, e eu amo de paixão os sucos com grãos da Piracanjuba que eu nunca vi por essas bandas (é esse aqui). Tomei hoje de café da tarde e amei. Quero estocar minha casa com essa vitamina, por favor donos de mercados de Ouro Preto não cortem o meu barato. A embalagem com um custou R$1,65,  e cada um tem 146 calorias.

2- Desde que eu descobri o que é Cream Cheese, abandonei o requeijão. Mais leve que requeijão e mais gostoso que manteiga, essa belezura me acompanha no pão integral, na torrada...Pena que o preço é mais azedo, mas acho que vale. R$4,50.

3- Meu amor desde os tempos paulistas, esses cookies da Quaker valem a pena pra um lanche mais rápido. São 4 cookies numa embalagem, e tem 4 sabores se eu não me engano: Granola, Passas, Chocolate e Maça. Meus preferidos são Granola e Maça. Cada embalagem custou R$1,60, e tem 157 calorias. Em São Paulo já vi esses cookies sendo vendidos numa embalagem igual a de bolacha recheada, a embalagem custava R$4,50.

4- Velhos de guerra, eles já vivem no meu mercado há um bom tempo. De vez em quando eu enjoo, mas eles sempre voltam. Os iorgutes me ajudam a regular o intestino, e são ótimos pra quando estou com preguiça de fazer algo mais elaborado hahah. Faz pouco tempo que descobri que o ideal é que o Iorgute tenha zero de gordura e zero de açucar, que é o caso do Activia, mas amo esse Molico de mamão. O preço deles varia de R$1,20 a R$1,50 e a quantidade calórica de 43 a 80.

Fora isso, tem algumas outras coisas que gosto, como o Pão integral 12 Grãos (que não tinha dessa vez no mercado), Peito de Peru, Suco...mas fica pro próximo post né?

Pra terminar, queria dizer a boa notícia do mês. Sim, vou voltar pra Academia assim que eu voltar das minhas férias, mês que vem. Uma amiga minha começou a fazer Pump e Spinning, tá gostando e me animou a voltar. Espero que eu goste e consiga voltar com o mesmo pique de antes. hahaha

Vocês conhecem algum produto interessante pra ajudar na reeducação alimentar? Deixa aí nos comentários, ficarei muito grata! hahahah

Pin It

As partes de mim e o que aprendi com elas juntas


Quando eu resolvi que ia mesmo sair de casa, largar a na teoria melhor faculdade de Arquitetura particular de São Paulo, eu tinha uma série de conjuntos que resultavam nessa decisão, mas sei que o maior deles era poder ter a chance de tentar um Ciências sem Fronteiras e viver fora do Brasil, coisa que eu sei que seria impossível que meus pais ou eu com salário de estagiária bancasse. Não me importo com o que os outros digam, se fiz bem ou  mal, fiz o que achei que me faria mais feliz.

Faz 4 meses que cheguei em Ouro Preto, e um que moro sozinha. Não conhecia ninguém quando cheguei aqui, e não sabia nem onde era a padaria mais próxima. Aprendi demais nesse tempo todo. Coisas boas e ruins. Desde a cuidar de uma casa a aprender a hora de parar de beber. Coisas que eu concordo que poderia ter aprendido em São Paulo, mas jamais teriam o mesmo impacto que teve comigo ter aprendido aqui, sozinha. 

A gente aprende que a saudade aumenta, a vida do passado não existe mais, e talvez o mais estranho: tudo o que você deixou pra trás continua, e sem você. Existe alguém no escritório que trabalha no meu lugar, a cada dia que passa meu irmãozinho que vi nascer se torna um homem, meus amigos continuam se encontrando toda semana e a minha turma da antiga faculdade tá a cada dia mais perto de pegar o diploma. Tudo isso depois que eu fui embora. Perdi encontros, aniversários, brincadeiras que por mais que me contem, eu nunca saberei como foi viver aquilo. É o preço que se paga por começar de novo. 

Acho que eu tinha a ingenuidade de acreditar que se eu fosse embora, o mundo ia continuar igual. Acontece que o meu mundo que antes já era dois (a Kamila de São Paulo, e a Kamila da casa da vó em Minas), agora virou três, com a Kamila de Ouro Preto. E o mais engraçado é que por mais que eu quisesse voltar e retomar minha vida do jeito que ela era antes da minha matrícula, eu nunca conseguiria, porque uma parte de mim já está em tudo o que eu vivi depois que eu fui embora. Uma parte de mim está em cada um dos lugares, e os três lugares juntos e separados formam a  Kamila. E eu não saberia viver em qualquer um dos três, sem sentir saudades dos outros dois. 

E vai ser assim sempre. Saudade é uma coisa bizarra. Você sente saudade da vida que era, naquele momento. Mas nem sempre viver de novo resolveria esse sentimento. Por mais que você tente e coloque todas as pessoas juntas de novo, no mesmo lugar de antes, cada um passou por diversas coisas que mudou a forma de agir, pensar, inclusive você. E estamos sujeitos a isso desde crianças,  e a cada dia mais. Quando você muda de escola, namora, entra na faculdade, muda de emprego, sai da casa dos pais, se casa, quando seus filhos saírem de casa...

A cada dia que a gente vive, deixamos de ser quem éramos ontem, e somos um pouco mais hoje. Somos um pouco de tudo o que vivemos, e do que queremos e buscamos viver. Antes de sair de casa, eu achava que quando eu  morasse sozinha, seria o ponto de equilíbrio entre meus dois mundos. Hoje, vejo que não adianta tentar fugir. Eu sempre vou criar um mundo a mais.

Conhecer pessoas novas, e morar sozinho é uma experiência maravilhosa. Só estou dizendo o lado que as pessoas não conhecem, ou preferem fingir que não sabem. Você pode ser quem você quiser no seu mundo novo. Mas nunca mais voltará a ser quem era antes de tudo isso. Nem você e nem o mundo. 

Mas de todos os meus medos, o maior deles é de um dia ser só lembrança. Alguém que foi e não soube como voltar pra algum desses mundos. Alguém que esqueceu quem foi um dia. Alguém que se perdeu no tempo. E pra isso não tem remédio nem fórmula. Pode ser que aconteça ou não.

Não importa se estou em Ouro Preto, São Paulo, Guaraciama ou em algum mundo que eu ainda não conheço. Em todos eles, eu vou deixar de viver uma coisa, pra viver outra. Não que eu vá me arrepender. Mas sempre uma parte de mim vai perder alguma coisa, boba talvez, como um abraço de pai e mãe, mas só quem não tem, sabe o quanto vale.

Esse texto foi inspirado em "O que acontece quando você vive no exterior", e mesmo que eu nunca tenha ido pra fora do Brasil, a sensação que eu tenho é exatamente a mesma. 

Pin It

Playlist: Pra começar Fevereiro


Já faz um bom tempo que eu não faço nenhuma playlist. O motivo é bem simples: meu gosto musical anda um tanto quanto limitado. Depois que meu notebook quebrou, não baixei mais nenhuma música pro meu iPod, e  fico sempre ouvindo as mesmas músicas velhas de sempre. Não que elas sejam ruins, muito pelo contrário, mas variar faz bem né?

Por causa disso, criei uma super lista de músicas no Vagalume, pra ficar escutando à toa. Fui colocando músicas de todos os tipos,tempo, tudo o que eu lembrava, e até músicas que eu não conheço de artistas que conheço. Depois, só jogar no aleatório e escutar quando der na telha.

Pensei um pouco e achei que seria legal criar playlists com essas músicas "novas" (ou nem tanto) no modo aleatório. E a primeira delas é essa. O aleatório ficou um pouco pra baixo, mas a maioria das músicas são de bandas que fazia um bom tempo que não escutava e gostei de recordar!



E vamos fugir da mesmice!

Pin It

Compras em sites internacionais


Eu sempre tive muito medo de comprar coisas na internet.  Medo de não chegar, medo de não ficar bom, medo de não conseguir trocar. Minha primeira compra pela internet foi um moletom, no mercado livre, e eu combinei de retirar em mãos. Depois dele, criei confiança, e mesmo as lojas de departamento ainda sendo minhas preferidas, achei no e-commerce uma ótima alternativa pra garimpar peças diferentes e por um preço bem mais bacaninha do que aqui no Brasil.

Mas não foi do nada que criei confiança pra comprar em sites gringos. Comecei comprando em lojas que revendiam peças gringas, por um preço não tão legal, mas que eu com certeza não encontraria no Brasil pra comprar. As peças variavam de 15 a 60 dias, mas chegavam intactas.

Depois foi quando eu descobri a magia, em um blog que eu não lembro mais qual é. Lembro que a mocinha comprou várias capinhas bacanérrimas pra Iphone por um preço bem em conta num site chinês chamado Mini in the box, que além de capinhas, vende também várias quinquilharias que deixam nossos dias mais divertidos. Como eu tinha acabado de trocar de celular, e as cases sem taxa de entrega, e o preço da maioria ficava abaixo dos R$10, (bem diferente dos R$25 que eu pagava na Paulista), achei que valia a tentativa.


E deu tão certo, que comprei até mais capinhas do que devia. Todas as da foto foram compradas no Mini in the box, e todas na média de R$6.

Um belo dia de frio, fui almoçar na casa da minha tia, e minha prima estava usando uma botinha parecida com as Uggs Boots. Longe de entrar no meu apertado orçamento, e quase impossível de comprar no Brasil, eu já estava quase desistindo, quando ela me contou que tinha comprado bem baratinho num site chinês chamado AliExpress.

Lá mesmo, ela me deu algumas dicas de como comprar no Ali: Procurar sempre os vendedores com mais qualificações positivas, procurar sempre por uma peça pra conseguir comprar no varejo, e o free shipping (Frete grátis) também ajuda o pacote a passar pela alfândega.


Essas blusas da foto foram minhas primeiras aquisições, e chegaram do jeitinho que eu imaginava. O Ali, é como se fosse um Mercado livre, ou um Ebay. São vários vendedores diferentes vendendo várias coisas, e por isso mesmo, é comum achar um mesmo produto com o preço diferente ou tamanhos diferentes. Eu gosto de comprar bastante sweater, mas a maioria das roupas do Ali são baseadas no tamanho das chinesas, que são bem magras. E como eu sou mais próxima do corpo brasileiro, fico bem atenta as medidas que os vendedores colocam nas descrições. Por exemplo, tenho 96cm de busto. Para alguns vendedores esse número é o XXL, já pra outros é o M.

Os produtos demoram de um mês a três meses pra chegar, então é importante ter paciência e comprar com  antecedência.  Normalmente chega em um mês, mas como depende da alfândega taxar ou não, eles enfrentam uma longa fila de espera. O processo da alfândega é bem aleatório. Já fiz compras com menos de 50 dólares que foram taxadas, como já fiz compras com mais de $50 que passaram sem taxa. Claro que comprar até o limite estipulado ajuda  bastante, mas muitas vezes eles analisam a nota fiscal, e produtos como eletrônicos e pacotes muito grandes tendem a ser taxados. Se o seu produto não chegar, você entra em processo e eles te depositam de volta o dinheiro na sua conta.


Gostou das dicas? Vou deixar aqui no final alguns sites que já comprei e são confiáveis, (beijos pra Becky Bloom que há em mim hahah): EbayAliExpressMini in the box e Sammy Dress. Mas se você ainda tá com medo de começar logo na gringa e quiser, pode tentar alguns achados am alguns sites nacionais como EnjoeiAzza BoutiqueMercado livre e Tanlup. Se você ficou com alguma dúvida ou já comprou alguma coisa bacana, deixa aí nos comentários, vou adorar ler e ajudar ;))

Pin It