My Week #3 e #4: A volta por cima

Antes que eu me esqueça dos últimos acontecimentos, vamos ao que vale lembrar das últimas duas semanas:
Tudo melhorou nas últimas duas semanas. Tirando um final  de semana de tédio, o resto da agenda  foi pra lá de cheia,  e só com coisas boas. Dei um "sai pra lá" no desanimo que eu estava sentindo no comecinho do ano. Saí com meus amigos pra "comemorar" a volta às aulas (foto 2), fui pra White Party no Caem (que é igual a Glow Party de São Paulo, fotos 4 e 5), e recebi uma visita pra lá de ilustre lá da terra da garoa! (que trouxe a chuva junto hahah, fotos 6 a 9).

Porém nem tudo são mil maravilhas. O final de semestre tá aí, e GD e Cálculo continuam me atormentando profundamente (fotos 3 e 10). E agora vem a parte mais legal da semana que passou: Viagem.
Antes do recesso, uma amiga da minha sala tinha combinado que assim que as aulas voltassem podíamos passar um final de semana na casa dela, numa cidadezinha  aqui perto. Fomos na sexta feira a noite e voltamos no domingo a noite.  Pensa num final de semana produtivo. Foi esse. Fizemos desde sessão de fotos a guerra de bexiga (aqui se fala balão!) d'água. (Fotos 11  a 17). E por fim, como começou minha segunda feira: na paz do mirante que dá pra Ouro Preto inteiro. (Foto 18).


Janeiro não foi o exemplo de mês que eu mais amei (Digamos que ter aulas colaborou bastante pra isso), mas parece que tudo gostou de mudar esse mês. Morar sozinha não é um bicho de sete cabeças como eu imaginava, mas quando a solidão bate, dói demais. Aprendi a me desligar de fato das coisas que me deixavam mal e a voltar com toda a força pra tudo aquilo que me faz bem. Afinal, o que seria da vida sem uns amigos pra te fazer companhia, uns drinks pra animar e uma boa dose de autoestima?

Moral do mês: Se você está mal por algum motivo, relaxa, quando uma coisa ruim acontece, a vida manda cinco boas pra compensar. 

Pin It

Posters na decoração



Desde quando eu me mudei, fico pensando em formas de como deixar minha casinha mais minha cara. Mas ainda preciso comprar bastante coisa, espelhos, mural de fotos, e quem sabe um tecido pra personalizar a parede né?

Mas como os ventos não andam muito a favor das compras, resolvi procurar alternativas que fossem mais baratas. E foi quando me veio a cabeça fazer uma decoração com poster.

Procurei algumas ideias na internet, e os lugares ficaram realmente bacanas, com um ar de personalidade forte, do jeitinho que eu gosto. Acho que vai valer super a pena, ainda mais aqui, onde minhas paredes são tons de creme, e o poster vai ficar super destacado.

E sabe o melhor? Não sai tão caro assim. Uma impressão em papel couchê (um papel mais brilhante) A4 sai em média uns 5 reais em São Paulo. Alguns sites vendem só o poster por 30. Você pode achar alguns no google ou até criar, e os espaços ficam maravilhosos!








Bacana né? Achei alguns posters super legais jogando no próprio google. E também achei alguns sites só de posters, se quiser, dá uma olhada:

Alguém tem alguma dica de onde arrumar mais posters legais? Comenta aí!

Pin It

Máquina do tempo


Hoje é um daqueles dias que sinto um aperto que não sei explicar.  Talvez seja a aula de cálculo ou de Geometria Descritiva, mas eu sei que o problema não é esse.

Cheguei em casa, liguei o computador e comecei a ver fotos antigas. Cinco, seis anos atrás. Como as coisas eram diferentes, e como tomaram rumos inesperados. Vivi tanta coisa, conheci tantas pessoas que jamais imaginaria conhecer. Mas também me decepcionei com muitas pessoas, me machuquei bastante.  Se eu pudesse voltar no tempo, o que eu faria?

Tudo o que eu fiz foi tentando acertar. Ninguém quer fazer algo que dê errado, ninguém gosta de ficar triste, não ter o cara que gosta ou brigar com alguém. Mas quem erra, não erra duas vezes pelo mesmo motivo, e sempre tem outra chance de acertar.

E por algum motivo eu tinha que estar aqui, agora. Nem antes, nem depois. Eu tinha que ter passado por tudo o que eu passei. Tinha que ter conhecido essas pessoas, no momento que tudo aconteceu. Tudo isso faz parte de um futuro maior que eu não tenho nem ideia de como será.

Se eu pudesse, entraria sim na máquina do tempo, e viveria tudo de novo. Pra sentir menos saudade de algumas coisas que a vida levou ou só pra viver tudo isso de novo.

Aperta o play, antes das fotos viu?
                                               Fim de Ano by Rafinha on Grooveshark
























Ma, roubei essa foto de  você!





























Mas nada vai conseguir mudar o que ficou.

Pin It